Ascensão e queda da Red Record: entre glórias do passado e crises do presente

A trajetória da Record, uma das maiores emissoras do Brasil, é marcada por grandes sucessos e inovações, mas também por polêmicas e desafios

Publicado 29/12/2023 às 14:27 por Redação X24

Continua após a publicidade..

Quando Paulo Machado de Carvalho deu vida à TV Record em 1953, ele certamente não imaginava que sua criação se tornaria um verdadeiro ícone na indústria da televisão brasileira. Com uma programação que inspirava e atraía a atenção dos telespectadores, a Record despontou como um farol de entretenimento e jornalismo.

A história tomou um rumo inesperado quando o carismático Silvio Santos, antes de consolidar seu próprio império televisivo com o SBT, teve sua parcela de domínio sobre a emissora. Contudo, foi a crise dos anos 80 que abalou as estruturas da Record, levando-a à beira do abismo, prestes a um colapso financeiro iminente. A virada veio com a venda para Edir Macedo, líder da Igreja Universal, em 1989.

Os Anos de Ouro e a Sombra da Controvérsia

A aquisição por Edir Macedo marcou o início de uma nova era para a Record. A emissora, que muitos temiam se converter em um canal exclusivamente religioso, surpreendeu ao investir em jornalismo e entretenimento diversificado. A sua trajetória se sobressaiu, e os rumores de uma programação unicamente voltada à fé foram dissipados pelo sucesso de novelas e reality shows.

Continua após a publicidade..

Com o passar dos anos, a Record se estabeleceu como uma competidora direta das gigantes do setor, oscilando na disputa pela audiência e conquistando o público com produções como “Os Dez Mandamentos”. No entanto, a situação atual da emissora revela os desafios de manter-se no topo.

Crise Financeira e o Socorro da Fé

As recentes demissões em massa e os cortes orçamentários sinalizaram que a era de ouro da Record poderia estar chegando ao fim. A necessidade de aportes financeiros da Igreja Universal sugere uma tentativa de mascaração da crise. Sob o pretexto de compra de espaço na programação, a Igreja injetou um volume recorde de recursos, com um aporte de 907 milhões de reais somente no último ano.

Essa estratégia não apenas supre temporariamente as necessidades da emissora mas também levanta questionamentos sobre a sustentabilidade dessa prática a longo prazo. O Ministério Público de São Paulo, em 2009, já apontava essa relação financeira como uma forma de repasse legalizado de dinheiro, ainda que incomum.

A Dança das Cadeiras Executivas e o Foco Questionável

Walter Zagari, contratado atualmente pela TV Band

A saída do vice-presidente comercial Walter Zagari, após duas décadas de contribuição, abalou os alicerces comerciais da Record. As críticas apontam para uma mudança de curso sob a influência de Cristiane Cardoso, filha de Edir Macedo, com a emissora assumindo uma produção que parece dialogar exclusivamente com o público evangélico.

A estratégia de produção focada em uma parcela específica da população é um dos aspectos que tem despertado debates acalorados. O cenário se complica quando os números apontam para um prejuízo líquido expressivo, que coloca em xeque a direção tomada pela gestão atual da emissora.

Escândalos nos Bastidores e a Crise de Imagem

Para além das dificuldades financeiras, a Record enfrenta graves acusações de assédio em seu ambiente de trabalho. O desabafo da jornalista Risa Castro e a condenação do repórter Gerson de Souza por importunação sexual são apenas a ponta de um iceberg que ameaça a integridade e a reputação da emissora.

O impacto dessas denúncias se estende para além das vítimas diretamente afetadas, lançando um holofote sobre a cultura organizacional da empresa e exigindo uma postura mais transparente e assertiva frente a tais acusações.

Um Futuro Incerto

A crise histórica que assola os canais de televisão aberta no Brasil também tem sua parcela de responsabilidade na situação da Record. O declínio em audiência, a perda de receitas publicitárias e o aumento da concorrência digital formam um cenário desafiador para o futuro da emissora.

O que antes estava escondido nos bastidores, agora vem à tona, e o público começa a perceber a magnitude dos desafios enfrentados pela mídia tradicional. A Record, assim como outras emissoras, precisa reinventar-se, caso contrário, poderá não apenas perder seu brilho, mas também seu espaço na tela dos brasileiros.

Empregamos cookies indispensáveis e tecnologias correlatas, conforme nossa Política de Privacidade. Ao prosseguir com a navegação, você expressa seu consentimento com tais termos. Politica de Privacidade