Cientistas comprovam o poder da m√ļsica e recriam hit do Pink Floyd atrav√©s de ondas cerebrais

Em um avan√ßo in√©dito, pesquisadores foram capazes de decodificar e reproduzir a ic√īnica m√ļsica "Another Brick in the Wall" do Pink Floyd a partir

Publicado 23/08/2023 às 08:03 por Alex Torres

Continua após a publicidade..

Um grupo de cientistas liderado pelo Prof. Robert Knight, um neurologista da Universidade da Calif√≥rnia em Berkeley, e o p√≥s-doutorando Ludovic Bellier, conseguiu recriar a referida m√ļsica interpretando ondas cerebrais de pacientes. Este feito, que √© o primeiro do tipo, tem a inten√ß√£o de auxiliar pessoas com impedimentos de comunica√ß√£o causados por problemas neurol√≥gicos, como o que afetava o renomado f√≠sico Stephen Hawking.

Embora as tentativas anteriores de decifrar a fala e at√© mesmo os pensamentos a partir das ondas cerebrais resultassem em uma qualidade rob√≥tica, desta vez a equipe focou em elementos emocionais e pros√≥dicos da m√ļsica ‚Äď ritmo, acento, entona√ß√£o ‚Äď que v√£o al√©m das limita√ß√Ķes da linguagem falada. Isso, segundo Knight, pode adicionar uma nova dimens√£o aos implantes de decodifica√ß√£o da fala.

O Diferencial da pesquisa

O diferencial desta pesquisa est√° na mudan√ßa de foco: se antes se tentava decodificar a atividade el√©trica cerebral do c√≥rtex motor da fala, respons√°vel pelos movimentos musculares necess√°rios para a forma√ß√£o da fala, agora o estudo se concentrou nas regi√Ķes auditivas do c√©rebro, respons√°veis pelo processamento de todos os aspectos do som.

Continua após a publicidade..

O processo de decodifica√ß√£o envolveu an√°lise de grava√ß√Ķes cerebrais de 29 pacientes expostos a um segmento da m√ļsica do Pink Floyd durante uma cirurgia de epilepsia. Eletrodos colocados no c√©rebro capturaram a atividade cerebral, que foi decodificada e reproduzida com a ajuda de intelig√™ncia artificial. Apesar de um pouco abafada, a frase ‚ÄúAll in all, it‚Äôs just another brick in the wall‚ÄĚ p√īde ser reconhecida na vers√£o reconstru√≠da com a melodia e o ritmo preservados.

Avanços futuros

Conforme as técnicas de registro cerebral avançam, métodos não invasivos poderiam eliminar a necessidade de cirurgia, possivelmente com a utilização de eletrodos sensíveis presos ao couro cabeludo. Knight sugere que o uso de eletrodos mais densamente espaçados poderia aprimorar a qualidade da reconstrução, onde espaçamentos de 1,5 mm ao invés dos usuais 5 mm poderiam melhorar substancialmente a qualidade do som.

Em um estudo correlato liderado pelo Dr. Alexander Huth na Universidade do Texas em Austin, os pesquisadores traduziram a atividade cerebral em um fluxo cont√≠nuo de texto usando varreduras de resson√Ęncia magn√©tica n√£o invasivas. Embora n√£o seja preciso o suficiente para decodificar palavras exatas, o sistema pode compreender a ess√™ncia das frases.

woman laying on bed near gray radio

A import√Ęncia da m√ļsica na comunica√ß√£o

O estudo, publicado na PLoS Biology, tamb√©m identificou novas √°reas cerebrais associadas √† detec√ß√£o de ritmo e confirmou que o lado direito do c√©rebro √© mais sintonizado com a m√ļsica do que o esquerdo. Essa descoberta pode ajudar a entender por que pessoas com afasia de Broca, que t√™m dificuldades na comunica√ß√£o verbal, conseguem cantar sem problemas.

Essa pesquisa inovadora ilumina n√£o apenas o potencial de conex√£o entre m√ļsica e mente, mas tamb√©m como nossos c√©rebros processam linguagem e melodia. √Ä medida que a tecnologia avan√ßa, a possibilidade de restaurar a express√£o musical em pacientes debilitados torna-se cada vez mais tang√≠vel, trazendo esperan√ßa para um futuro onde m√ļsica e ci√™ncia se unem para transformar vidas.

Aplica√ß√Ķes Pr√°ticas da Pesquisa

O estudo em andamento n√£o apenas lan√ßa luz sobre a rela√ß√£o entre o c√©rebro e a m√ļsica, mas tamb√©m abre portas para aplica√ß√Ķes pr√°ticas que podem revolucionar o tratamento de diversas condi√ß√Ķes neurol√≥gicas. A recria√ß√£o da m√ļsica atrav√©s das ondas cerebrais pode levar ao desenvolvimento de terapias inovadoras para pacientes com dist√ļrbios de comunica√ß√£o, como a afasia. Al√©m disso, a pesquisa pode ser aplicada na cria√ß√£o de interfaces c√©rebro-computador mais avan√ßadas, permitindo uma comunica√ß√£o mais rica e expressiva para pessoas com defici√™ncias motoras graves.

Desafios e Limita√ß√Ķes da Tecnologia

Embora a pesquisa esteja avan√ßando rapidamente e oferecendo esperan√ßa para muitos, ainda existem desafios significativos e limita√ß√Ķes que precisam ser superadas. A precis√£o na decodifica√ß√£o das ondas cerebrais ainda precisa ser aprimorada, e a tecnologia ainda √© invasiva em muitos casos, requerendo cirurgia. A busca por m√©todos n√£o invasivos e mais eficazes continua sendo um foco importante para os cientistas envolvidos. Al√©m disso, a compreens√£o das complexas intera√ß√Ķes entre diferentes regi√Ķes cerebrais associadas √† m√ļsica e √† fala ainda est√° em est√°gios iniciais, exigindo mais estudos e experimenta√ß√£o.

Empregamos cookies indispensáveis e tecnologias correlatas, conforme nossa Política de Privacidade. Ao prosseguir com a navegação, você expressa seu consentimento com tais termos. Politica de Privacidade