Conhe√ßa o rob√īs Guardas-Prisionais coreanos. Um avan√ßo da tecnologia ou um exagero?

No futuro, os prisioneiros na Coreia poder√£o ser vigiados por rob√īs. Isso n√£o √© uma hist√≥ria de fic√ß√£o cient√≠fica, mas o resultado da colabora√ß√£o entre o Instituto de Pesquisa de Eletr√īnica e Telecomunica√ß√Ķes da Coreia (ETRI) e a Universidade Kyonggi. Com um custo estimado de 1 b

Publicado 27/09/2023 às 12:05 por Alex Torres

Apesar de se tratar de uma not√≠cia j√° conhecida por muitos, vale sempre lembrar do mundo curioso e cheio de possibilidades que a Intelig√™ncia Artificial p√īde proporcionar, nas √ļltimas d√©cadas. A ideia √© que a implementa√ß√£o desses rob√īs possa contribuir para a seguran√ßa dos funcion√°rios da pris√£o. No entanto, levanta-se a quest√£o de qu√£o eficaz essa medida ser√°. H√° uma possibilidade de que os prisioneiros possam destruir essas cria√ß√Ķes caras de maneiras criativas. A resposta a isso ser√° conhecida em breve, pois os pesquisadores planejam realizar um teste com tr√™s desses rob√īs em pris√Ķes reais no pr√≥ximo ano.

Características físicas e técnicas destes recursos

Os rob√īs prisionais ter√£o cerca de 1,5 metros de altura e pesar√£o cerca de 70 kg. Com a velocidade de caminhada humana, eles ir√£o patrulhar os corredores da pris√£o. Apesar de sua apar√™ncia n√£o ser intimidante, os rob√īs ser√£o equipados com tecnologia de ponta. Eles transmitir√£o v√≠deo ao vivo para seus supervisores e permitir√£o a comunica√ß√£o com os prisioneiros por meio de um alto-falante e microfone integrados.

A fun√ß√£o principal dos rob√īs

Na ess√™ncia, esses rob√īs funcionar√£o como telepresen√ßa, uma tecnologia que permite a presen√ßa virtual e a intera√ß√£o em tempo real de uma pessoa em um local remoto. No entanto, eles levar√£o essa tecnologia um passo adiante, aplicando-a ao contexto prisional. Os rob√īs transmitir√£o em tempo real o que est√° acontecendo na pris√£o, permitindo uma resposta r√°pida a quaisquer incidentes.

Os resultados deste projeto s√£o aguardados com expectativa. No melhor dos cen√°rios, ele poder√° liberar parte da equipe para outras fun√ß√Ķes. Mas, no pior dos casos, o diretor da pris√£o pode encontrar um monte de partes de rob√īs no p√°tio. Independentemente do resultado, este projeto marca um passo importante na aplica√ß√£o da tecnologia rob√≥tica para a seguran√ßa prisional.

Desafios éticos e legais

Uma das grandes preocupa√ß√Ķes em rela√ß√£o √† implementa√ß√£o de rob√īs na seguran√ßa prisional √© a quest√£o √©tica e legal. Quem seria respons√°vel em caso de erros ou falhas do sistema? Como a tecnologia poderia impactar a qualidade de vida e os direitos dos prisioneiros? √Č crucial que essas quest√Ķes sejam discutidas e resolvidas antes da implementa√ß√£o em larga escala. A sociedade, os legisladores e as organiza√ß√Ķes de direitos humanos devem ser envolvidos no di√°logo para criar um quadro √©tico e legal que garanta o uso respons√°vel dessa tecnologia.

Viabilidade econ√īmica

Outro aspecto que merece aten√ß√£o √© a viabilidade econ√īmica do projeto. Embora a tecnologia de ponta possa trazer muitos benef√≠cios em termos de seguran√ßa e efici√™ncia, ela tamb√©m tem um custo elevado. Al√©m do investimento inicial na compra dos rob√īs, existem custos de manuten√ß√£o, atualiza√ß√Ķes de software e treinamento de pessoal. Portanto, √© fundamental realizar uma an√°lise custo-benef√≠cio abrangente para determinar se a implementa√ß√£o desses rob√īs √© uma solu√ß√£o sustent√°vel a longo prazo para os desafios enfrentados pelas institui√ß√Ķes prisionais.

Empregamos cookies indispensáveis e tecnologias correlatas, conforme nossa Política de Privacidade. Ao prosseguir com a navegação, você expressa seu consentimento com tais termos. Politica de Privacidade