Estimule o diálogo na intimidade: estratégias para enriquecer a comunicação com o parceiro

A troca de palavras durante a intimidade é um elemento crucial da sexualidade, capaz de ampliar a cumplicidade e o contentamento entre os

Publicado 04/11/2023 às 10:19 por Viviane Grecilo Torres

Continua após a publicidade..

A troca de palavras durante a intimidade é um elemento crucial da sexualidade, capaz de ampliar a cumplicidade e o contentamento entre os parceiros. Entretanto, é comum que muitas pessoas encontrem obstáculos ao tentar verbalizar seus anseios, emoções e devaneios eróticos.

À medida que os antigos papéis são desmontados

No universo do prazer, o diálogo corporal é eloquente, desempenhando um papel preponderante. O que é expresso verbalmente deve estar em harmonia com o jogo sensual, de maneira que um complemente o outro. Estimular o diálogo durante esses momentos íntimos é um instrumento enriquecedor que merece atenção, contanto que exista consenso entre os envolvidos.

O respeito mútuo é e sempre foi um pilar essencial, mas adquire ainda mais importância atualmente: consentir afirmativamente ou recusar é fundamental para que o erotismo seja interrompido ou redirecionado conforme a vontade dos parceiros. Os casais estão aprendendo a descobrir o prazer sexual sem se submeterem a práticas que desagradam a um ou outro.

Continua após a publicidade..

As palavras e os desejos femininos foram as mulheres que iniciaram a jornada de verbalizar, de relatar sensações e sentimentos, a princípio com timidez, e depois com crescente liberdade e ousadia.

Paralelamente, os homens tiveram que se ajustar a essas transformações e compreender que as mulheres também podem almejar delicadeza e ardor desmedido. Assim, a conversa durante a intimidade ganha um papel duplamente significativo na expressão feminina: aguça os sentidos e reflete uma coerência com seus desejos e sentimentos.

Cautela e Desassombro

“Como posso dizer a ele que não consigo corresponder ao seu nível de desejo sexual?”, “Não me agrada terminar nessa posição, mas se é do seu gosto…”, “Ela parece não se excitar tanto quanto outras mulheres durante o clímax; suspeito que simula.” Essas e outras inúmeras afirmações refletem as discrepâncias nos encontros sexuais, a dificuldade em discuti-las e a necessidade de encontrar caminhos para que o prazer seja mútuo e satisfatório.

O depois que importa

man sitting beside woman

Após o ápice do prazer, inicia-se um novo ciclo: os corpos relaxam e as conversas retomam seu lugar no ninho.

No entanto, estender o momento com carícias, ternura e compartilhando impressões sobre o que sentiram e o que sentem naquele instante, costuma ser extremamente aconchegante e até mesmo o prelúdio para futuras experiências a dois.

Existem casais que, justificadamente, lamentam o silêncio que se segue ao ato sexual, como se o término do prazer fosse sinônimo de um adeus abrupto ou um convite a dormir.

A interação verbal como jogo prévio

A comunicação antes mesmo de iniciar o ato sexual é uma forma poderosa de estabelecer conexão e desejo entre os parceiros. O flerte verbal, os elogios e as sugestões sussurradas podem atuar como um jogo prévio, elevando a antecipação e a excitação. Ao compartilharem o que esperam do encontro, as partes podem ajustar suas expectativas e entrar no clima de forma mais intensa e sincronizada.

Essa prática não apenas prepara o terreno para uma experiência física mais intensa mas também promove a abertura emocional, reforçando laços e criando um ambiente de segurança onde cada um se sente valorizado e desejado. A importância desse diálogo prévio reside no fortalecimento da intimidade, que transcende o contato físico e adentra o território das conexões mais profundas.

A importância do feedback positivo

Comunicar-se após o sexo é tão relevante quanto durante o ato. Oferecer e receber feedback sobre a experiência compartilhada pode ser uma prática enriquecedora. Através de comentários positivos e construtivos, os parceiros podem não apenas expressar apreço pelas sensações proporcionadas mas também sutilmente guiar um ao outro para descobertas que enriquecerão futuros encontros.

Esta conversa pós-intimidade não deve se focar apenas no que poderia melhorar, mas também reconhecer o que foi prazeroso e satisfatório. Este tipo de diálogo contribui para a melhoria contínua da vida sexual do casal e fomenta uma dinâmica onde ambos se sentem incentivados a explorar e a expressar suas sexualidades de maneira aberta e confiante. Ao cultivar essa prática regularmente, o casal estabelece um ciclo de confiança e prazer contínuos, fortalecendo o relacionamento como um todo.

Dr. Walter Ghedin (Registro profissional MN 74.794) é psiquiatra e também sexólogo.

Voltar ao topo

Posts relacionados

Empregamos cookies indispensáveis e tecnologias correlatas, conforme nossa Política de Privacidade. Ao prosseguir com a navegação, você expressa seu consentimento com tais termos. Politica de Privacidade