O Amor mapeado: uma exploração científica das emoções intensas

A ciência está conectando os pontos, revelando como os diferentes tipos de amor afetam nossos corpos física e emocionalmente. Uma nova pesqui

Publicado 28/09/2023 às 08:02 por Alex Torres

Continua após a publicidade..

Muitos associam a chegada da primavera ao florescer do amor, aquele sentimento profundo de afeição e apego entre os indivíduos. Filosoficamente, o amor é uma virtude, representando a bondade, a compaixão e o carinho humanos. É fundamental para muitas religiões, refletido na frase cristã “Deus é amor”. O amor também pode ser descrito como ações dirigidas aos outros (ou a si mesmo) baseadas na compaixão ou no afeto.

Localizando o amor

Com base nesse sentimento universal, uma equipe de pesquisadores do Departamento de Neurociência e Engenharia Biomédica da Universidade Aalto, Espoo, Finlândia, mapeou as diferentes partes do corpo onde os diferentes tipos de amor são sentidos e a intensidade com que são experimentados.

No estudo coordenado pelo filósofo Pärttyli Rinne, a pesquisadora de doutorado Mikke Tavast analisou os dados, enquanto o pesquisador Enrico Glerean desenvolveu os métodos de pesquisa. O projeto foi iniciado conjuntamente por Rinne e o professor emérito Mikko Sams.

Continua após a publicidade..

A identificação dos sentimentos de amor

close-up photography of heart shaped fairy lite on brown sand

Os pesquisadores questionaram os participantes sobre como experimentavam 27 diferentes tipos de amor, como o amor romântico, o sexual, dos pais, por amigos, pela natureza, por Deus ou por si mesmos. Pediram-lhes para indicar onde sentiam os diferentes tipos de amor em seus corpos e qual era a intensidade do sentimento, tanto fisicamente quanto mentalmente.

Os resultados mostraram que os três tipos de amor mais sentidos mapeados no corpo foram o ‘amor apaixonado’, o ‘amor verdadeiro’ e o ‘amor pela vida’.

O ‘amor apaixonado’ refere-se à experiência de amor mais intensa no contexto de uma relação sexual e romântica. A força do ‘amor verdadeiro’ e do ‘amor pela vida’ pode refletir o fato de que o primeiro representa um núcleo genérico do conceito subjetivo do amor, e o ‘amor pela vida’ pode estar relacionado com a sobrevivência.

A intensidade do amor

Os resultados, publicados na revista Philosophical Psychology, sugerem que os diferentes tipos de amor formam um contínuo de mais fraco para mais forte. Todos os tipos foram sentidos fortemente na cabeça, mas diferiam no resto do corpo: alguns se estendiam apenas até o peito, enquanto outros eram sentidos por todo o corpo. As formas mais fortes de amor eram sentidas mais amplamente por todo o corpo.

Conduzindo a pesquisa

Para construir o mapa, os pesquisadores coletaram dados de centenas de participantes através de uma pesquisa online. A maioria das respostas veio de mulheres jovens em educação superior. Os participantes foram solicitados a colorir uma silhueta corporal para indicar onde sentiam cada tipo de amor. Também foram perguntados sobre como cada tipo de amor era sentido fisicamente e mentalmente, quão agradável era a sensação e como se associava ao toque. Finalmente, foi pedido que classificassem a proximidade dos tipos de amor.

Explorando as descobertas

Os tipos de amor são divididos em sexual e não sexual. Os tipos mais próximos são aqueles que têm uma dimensão sexual ou romântica, como Rinne explicou.

Uma forte correlação também foi encontrada entre a intensidade física e mental da emoção e seu prazer. Quanto mais forte um tipo de amor é sentido no corpo, mais forte é sentido na mente e mais prazeroso ele é.

Curiosamente, todos os diferentes tipos de amor são sentidos na cabeça. À medida que passamos de tipos de amor mais intensos para tipos menos intensos, as sensações na área do peito enfraquecem. Isso pode indicar que o amor por estranhos ou sabedoria estão associados a um processo cognitivo, talvez até produzindo sensações agradáveis na área da cabeça.

Em geral, as áreas mais distintas de ativação corporal sentida subjetivamente em diferentes tipos de amor são o peito e a cabeça, provavelmente indicando mudanças no ritmo cardíaco, na respiração e nas expressões faciais, incluindo o possível rubor. Por outro lado, os sentimentos associados com tipos de amor mais fracos tendem a se concentrar na cabeça.

A influência da cultura no entendimento do amor

groom and bridge hand gesture

Diferentes culturas têm abordagens únicas para entender e expressar o amor. Em algumas sociedades, o amor romântico é o foco, enquanto em outras, o amor familiar ou o amor pela comunidade podem ser mais valorizados. A pesquisa também revela que as expressões culturais do amor podem afetar as respostas emocionais e fisiológicas das pessoas. Por exemplo, em culturas onde o amor romântico é altamente idealizado, os indivíduos podem relatar uma maior intensidade de emoções e mesmo mudanças fisiológicas, como aceleração do ritmo cardíaco, quando experimentam esse tipo de amor. A compreensão cultural do amor também influencia as expectativas, os comportamentos e até mesmo os rituais relacionados ao amor, como namoro, casamento e demonstrações públicas de afeto.

Os efeitos biológicos do amor

O amor não é apenas uma construção social ou um estado emocional; ele tem implicações biológicas significativas. Estudos mostram que sentimentos intensos de amor podem liberar hormônios como a oxitocina e a endorfina, que têm efeitos calmantes e podem até mesmo aliviar a dor. Além disso, o amor tem o poder de impactar a saúde mental e física das pessoas. Em relacionamentos amorosos saudáveis, os parceiros frequentemente relatam melhor bem-estar mental, menor estresse e uma sensação aumentada de felicidade e segurança. No entanto, o amor não correspondido ou disfuncional pode ter o efeito oposto, levando ao estresse emocional e a problemas de saúde relacionados. Essa dualidade ressalta a complexidade do amor como uma força tanto construtiva quanto potencialmente destrutiva na vida humana.

Amor: um estudo em andamento

Este estudo ressalta que o amor é uma experiência complexa e multifacetada, influenciada pela cultura, demografia e contexto pessoal. Pesquisas futuras podem lançar mais luz sobre como esses diferentes tipos de amor compartilham padrões de ativação neuronal semelhantes e a relação entre esses padrões e a semelhança dos sentimentos associados a diferentes tipos de amor.

Empregamos cookies indispensáveis e tecnologias correlatas, conforme nossa Política de Privacidade. Ao prosseguir com a navegação, você expressa seu consentimento com tais termos. Politica de Privacidade