Como aumentar a concentração e ser mais produtivo?

Em um mundo de prazeres instantâneos e recompensas rápidas, entender o papel da dopamina pode ser a chave para desbloquear uma vida mais focad

Publicado 21/11/2023 às 18:02 por Alex Torres

Continua após a publicidade..

Navegar pelo mar cibernético das redes sociais ou mergulhar no universo dos videogames por horas a fio parece ser um desafio simples para muitos de nós. Contudo, quando se trata de assistir a um vídeo educativo por meros dez minutos ou de se dedicar à leitura de um livro, eis que o desafio de manter a concentração se assemelha a escalar uma montanha íngreme. Por que será que atividades produtivas, apesar de seus benefícios reconhecidos a longo prazo, frequentemente perdem a batalha para opções de entretenimento fácil e instantâneo?

A resposta para esse dilema pode estar escondida nos mistérios de um neurotransmissor chamado dopamina. Conhecida como o “hormônio do prazer”, a dopamina, na realidade, desempenha um papel mais complexo: ela é responsável por nos fazer desejar coisas. Esse desejo é que nos motiva a realizar as mais diversas atividades. Se uma tarefa libera pouca dopamina, nossa tendência é evitá-la; já as atividades que liberam abundantes doses desse neurotransmissor nos atraem irresistivelmente, como mariposas à luz.

A Dopamina e a recompensa: o dilema do prazer imediato

Qualquer atividade que preveja uma recompensa pode disparar a liberação de dopamina. Isso vai desde o anseio por um lanche favorito até a expectativa criada pelo som das notificações no celular, nos impelindo a verificar o aparelho incessantemente. O problema surge quando as grandes corporações exploram o poder viciante da dopamina, transformando seus produtos – seja um sorvete carregado de açúcar ou as mídias digitais – em fontes de um prazer fácil e constante.

Continua após a publicidade..

O perigo da tolerância à Dopamina

woman sitting on brown wooden chair while using silver laptop computer in room

Assim como a tolerância ao álcool se desenvolve com o consumo excessivo, o mesmo ocorre com a dopamina. Quando estamos expostos a níveis elevados desse neurotransmissor por um período prolongado, nosso cérebro se adapta e passa a considerar esses níveis elevados como o novo normal. Com isso, atividades essenciais, mas menos estimulantes em termos de liberação de dopamina, perdem seu apelo e nos parecem monótonas, afetando tanto tarefas como estudar quanto simples prazeres do dia a dia.

Desintoxicando a mente: Que tal um jejum de Dopamina?

Diante deste cenário, surge o conceito do jejum de dopamina, uma técnica que propõe a abstinência temporária de atividades hiperestimulantes. A ideia não é adotar medidas radicais, mas sim escolher um dia da semana para se desconectar dessas fontes de dopamina excessiva. Isso significa dizer não à internet, à música, a alimentos processados, a videogames e outros entretenimentos visuais por um dia inteiro.

Durante esse período de jejum, você pode substituir os estímulos artificiais por atividades como caminhar ao ar livre, meditar ou planejar o futuro. Ao fazer isso, você permite que os receptores de dopamina se recuperem, fazendo com que atividades antes tidas como tediosas comecem a proporcionar prazer.

Recompensas estratégicas e o poder da autogestão

woman in brown sun hat lying on sand during daytime

Uma maneira eficaz de realinhar o sistema de recompensa do cérebro é associar tarefas desafiadoras a prêmios pessoais. Ao terminar de escrever um roteiro ou ao finalizar uma sessão de musculação, permita-se desfrutar de algo que realmente aprecie, como um café especial ou uma comida favorita. Dessa forma, você cria uma associação positiva com atividades produtivas.

O equilíbrio é a chave

Em vez de ser escravo das descargas de dopamina e dos prazeres efêmeros, vale a pena investir no jejum de dopamina e na autogestão das recompensas. Ao fazer isso, você redescobre a satisfação nas tarefas do dia a dia e transforma a dopamina em uma aliada para atingir objetivos a longo prazo. Todos somos viciados em dopamina em certa medida, mas é você quem decide se isso será um obstáculo ou um trampolim para uma vida melhor.

Empregamos cookies indispensáveis e tecnologias correlatas, conforme nossa Política de Privacidade. Ao prosseguir com a navegação, você expressa seu consentimento com tais termos. Politica de Privacidade